terça-feira, 13 de outubro de 2015

ESSE OLHAR

Esse traço
Com toque sofrido
Te digo,
Não se iluda,
Não mergulhe fundo
Não bata o martelo...
É somente um risco poético
Que afina e desafina
Rege
A sinfonia vital



Esse brilho
Sereno conciso

Aparentemente perdido
Tem um que
De abstrato

Flamejante
Impossível
Decifrar...
Então,
Contemple
Relaxe...
Deixa estar assim,
Rompendo chão,
Sobrevoando

Teu mar


liza
leal

11 comentários:

  1. Serenamente indecifrável olhar... beijo.

    ResponderExcluir
  2. fonte e fim
    o fio de Ariadne
    não não
    Àrtemis
    musa e feiticeira
    lobos e caçador
    à espreita
    ou um cervo
    se perde
    ...

    ResponderExcluir
  3. Bela descrição desse olhar que diz muito, mas indecifrável. O que traz um magnetismo indescritível. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Excelente poesia, minha amiga.
    Desejo muito que se encontre bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  5. Lindô ee intenso poemaa,Liza caríssima!
    Tudo de bom nesse 2016!
    Smaaackkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!
    PS escute em post recente,- If You Were a Sailboat

    ResponderExcluir
  6. Corrigindo:escute I Cried For You,em post recente,e perceba que texto lindo! Smaaaaaaaaaaaackkkkkkkkk

    Rica

    ResponderExcluir
  7. Que 2016 lhe traga motivação e muito inspiração!
    Boa semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Olá, amiga, tudo bem?
    O Bordando Palavras ficou temporariamente fechado, mas está de volta com novo link e outras pequenas mudanças.
    Portanto, para receber as minhas postagens, tu deves atualizar o meu link no seu blog.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  9. Também senti saudade da sua fala poética,
    me identifico tanto com sua poesia que sou muito suspeito para elogiar mais. Bj

    ResponderExcluir